Dia do Programador, o 256º dia do ano

Dia do Programador

Em 13 de setembro é comemorado o Dia do Programador, o 256º dia do ano! (12 de setembro num ano bissexto).

O número 256 (28) representa o número de valores distintos que podem ser representados com um byte de oito bits, além disso, 256 em hexadecimal é 100 ('0x100'), também sendo a maior potência de 2 abaixo de 365 (o número de dias do ano).

Cafeína
Verbete na Wikipedia: Dia do Programador
Curioso sobre a molécula que ilustra essa postagem? Clique aqui

Visite Sinco.net

Seagate® celebra 43 anos

Seagate completa 43 anos

Fundada por Alan Shugart e Finis Conner em 10 de setembro de 1979, a Seagate® é a maior fabricante de discos rígidos de computador no mundo, além de ser a mais antiga fabricante independente ainda no negócio.

A fabricante tem renovado seu portfólio constantemente, agregando tecnologias e tendências.
Atualmente a Seagate conta com unidades sólidas NVME e SSD, unidades híbridas SSHD (HDD com SSD), armazenamento externo e portátil.

Seu leque de produtos atende aos mais diversos segmentos, desde o ambiente doméstico, passando pelo gamer entusiasta, até o setor corporativo, com soluções especialmente desenvolvidas e otimizadas para empresas dos mais diversos portes, desde as microempresas, até os maiores Datacenters do mundo.

Como toda boa empresa de tecnologia, a Seagate já passou por altos e baixos, no entanto, nunca saiu do topo da lista de empresas mais poderosas do mundo!

Feliz aniversário, Seagate!
Visite Sinco.net

Feliz aniversário! Hoje o Linux comemora 31 anos!

Feliz aniversário! Hoje o Linux comemora 31 anos!

Em 25 de agosto de 1991 o então estudante Linus Benedict Torvalds, na ocasião com 21 anos, anunciou no newsgroup comp.os.minix que estava se dedicando, apenas como um "hobby", a um sistema operacional gratuito para PCs 386/486.

Linus Torvalds newsgroup comp.os.minix

O que Linus Torvalds provavelmente nunca tenha sonhado é que aquilo que havia começado como um “hobby” viria a ganhar proporção mundial, com o Linux embarcando em PCs, servidores, smartphones, roteadores, assistentes virtuais, Smart TVs, satélites e aviões.

O pinguim cresceu e hoje está presente por toda a internet, nos 500 maiores supercomputadores do mundo, em Wall Street e até na Estação Espacial Internacional (ISS).

Vida longa ao pinguim!

Visite Sinco.net

Comparando desempenho de SSDs Kingston® DC450R/960GB em RAID-0, RAID-1 e RAID-10

Comparando desempenho de SSDs Kingston® DC450R/960GB em RAID-0, RAID-1 e RAID-10

A maneira mais prática de otimizar performance de I/O, capacidade e segurança é através de um volume RAID. 
A grande vantagem desses volumes está no uso de múltiplas unidades, sem que o usuário tenha de apelar para tecnologias mais onerosas, tanto para obter desempenho, quanto para obter capacidade.

Para ilustrarmos os diferentes desempenhos que podem ser atingidos em volumes RAID, elegemos uma configuração base para os ensaios e, conforme cada volume, foram aderidas unidades SSD.

Configuração de Base:

Placa mãe de servidor Gigabyte® MX33-BS0;
Processador Intel® Xeon® E-2356G (6-Core / 12-Threads);
128 GB de RAM (populadas através de 4 módulos Kingston® DDR4/3200);
01 NVMe de 256GB para Sistema Operacional (não participa dos testes);
01 a 04 SSDs Kingston® Enterprise de 960GB, Série DC450R, para os volumes;
Fonte CoolerMaster® com PFC Ativo de 500Watts;
(*) Todas as unidades foram conectadas diretamente às portas SATA da placa mãe!

HD Tune Pro 5.75:
Para os testes foi empregado o HD Tune Pro versão 5.75 instalado sobre o Sistema Operacional Windows Server 2022 Standard.

Kingston DC450R/960GB

Sobre Custo vs. Capacidade:
É consenso no mercado que, em HDDs mecânicos (discos rígidos), o custo por GB cai em função da capacidade.
Um HDD de 8TB tem menor custo que dois HDDs de 4TB cada, por exemplo.

Em SSDs o custo por GB é linear:
Um SSD de 960GB tem custo semelhante ao de duas unidades de 480GB, assim como duas unidades de 960GB têm custo próximo ao de uma unidade de 1920GB.

Esse custo por GB se dá em função do custo de memória, a mesma situação que ocorre em módulos de memória RAM, onde, por exemplo, um módulo de 32GB tem o mesmo custo que dois módulos de 16GB.

Sabendo disso, os usuários têm optado por duas ou mais unidades SSD em lugar de apenas uma unidade de maior capacidade.

Kingston® DC450R/960GB

Sem RAID, usando apenas 1 SSD
Alojando apenas 01 SSD abaixo do NVMe de Boot, sem RAID, a unidade apresentou taxa de transferência média de 530MB/s:

Kingston® DC450R/960GB


RAID nível 0 (Striping)
O volume em RAID-0 consolida duas ou mais unidades em um único volume. Dessa maneira, tomando por exemplo dois SSDs de 960GB, o produto final será um RAID-0 com 1920GB.
Como os dados são gravados e lidos repartidamente em duas unidades, um incremento de desempenho é facilmente percebido pelo usuário.

Desempenho com 2 SSDs em RAID-0
Alojando 02 SSDs abaixo da unidade de Boot, em RAID nível 0, o teste apresentou taxa de transferência média de 1.049MB/s.
O incremento de desempenho percebido chega a 98%!

Kingston® DC450R/960GB

Desempenho com 4 SSDs em RAID-0
Dessa vez, alojando 04 (quatro) SSDs abaixo da unidade de Boot, novamente em RAID nível 0, o que totaliza um volume de 3840GB), o teste apresentou taxa de transferência média de 1.880 MB/s.
O ganho de desempenho chegou a 79% quando comparados a 02 unidades em RAID-0 e notáveis 255% quando comparados ao resultado de apenas uma unidade!

Kingston® DC450R/960GB

Conclusão em RAID-0
Esse volume tem a característica de elevar consideravelmente o desempenho e, como se notou na segunda simulação, quanto mais unidades são aderidas ao volume, maior o desempenho obtido.

O risco envolvido em um volume em RAID-0 é que, havendo falha em qualquer unidade, todo o volume será perdido, uma vez que os dados estão distribuídos entre as unidades e, portanto, não poderão ser reconstruídos caso uma sofra um dano.

Em contrapartida, como a confiabilidade dos SSDs é muito superior à dos discos mecânicos, muitos usuários têm optado pela vantagem em desempenho.

Outro cenário amplamente adotado é um volume RAID-0 para altíssimo desempenho e um backup em HDD mecânico. Nesse cenário o usuário desfrutará de desempenho por longo tempo e, na eventualidade de uma degradação do volume, restaura-se o BKP e retorna às atividades cotidianas.


RAID-1

RAID nível 1 (Espelho)

Como a segurança dos dados é fator primordial, a configuração de RAID mais difundida é o espelhamento (mirroring), através do RAID em nível 1.

O volume em RAID-1 duplica os dados de uma unidade sobre a outra, por isso, duas unidades de 960GB cada resultarão em um volume, também, com 960GB.


RAID-1 (espelho), usando 2 SSDs
Mesmo com a duplicação dos dados, o volume atingiu taxa de transferência média de 1.039 MB/s.
Mesmo ganhando no quesito segurança, ainda assim há um perceptível ganho de 96% em leitura quando comparado ao resultado de apenas uma unidade!

Kingston® DC450R/960GB

Conclusão em RAID-1
Nota-se que, sendo duas mídias de consulta, é possível obter ganho de leitura, mesmo sendo um volume duplicado.
Já na gravação, como a ação ocorre simultaneamente nas duas unidades, há uma discretíssima perda em relação à unidade sem qualquer volume.

RAID-10

RAID nível 10 (Striping + Espelho)

O volume em RAID-10 é uma combinação de desempenho e segurança.
Para esse volume são necessárias 4 unidades, onde cada duas formarão um espelho e, sobre esses dois espelhos, um volume RAID-0 será criado para obter desempenho.

Nessa construção o volume formado por quatro unidades terá a capacidade final de apenas duas. No exemplo, 04 unidades de 960GB perfazem um volume RAID-10 com 1920GB.


Desempenho com 4 SSDs em RAID-10

Dessa vez, alojando 04 (quatro) SSDs abaixo da unidade de Boot, em RAID nível 10, o teste apresentou taxa de transferência média de 1.885 MB/s.

Conclusão em RAID-10
Respeitando o propósito de unificar segurança e desempenho, o volume em RAID-10 conseguiu oferecer ganhos de 256% em comparação a uma unidade simples.

Mesmo quando comparado a um volume espelhado (2x SSDs em RAID-1), é percebido um ganho de 82%, o que justifica um volume RAID-10 de 4x 960GB em lugar de um espelho de 2x 1960GB, por exemplo.

Kingston® DC450R/960GB

Conclusão: Encontrar a relação ideal entre desempenho e segurança
Pelos resultados obtidos nas medições acima é possível perceber que o incremento de desempenho é linear e proporcional, ou seja, a cada unidade aderida ao volume o usuário notará um incremento no I/O.

Os equipamentos baseados em placas de servidor Intel® trazem a tecnologia Intel® RST como recurso nativo, permitindo a implementação de volumes sem nenhum ônus adicional com controladoras proprietárias.


O propósito dessa postagem é apresentar uma solução acessível para alto desempenho de I/O, cabendo ao usuário dimensionar um arranjo que assegure performance e segurança aos dados ali depositados.


Dicas de leitura:

15 de Agosto: Dia Mundial da Informática

Dia da Informática

Em 15 de agosto profissionais da tecnologia de todo o mundo celebram o Dia da Informática.
A data marca o dia em que John Eckert e John Mauchly apresentaram o ENIAC, aquele que seria o primeiro equipamento eletrônico chamado de computador no mundo.

Acrônimo de Electronic Numerical Integrator Analyzer and Computer, o ENIAC tinha capacidade de processamento de 5 mil operações por segundo, possuía 17.468 válvulas termiônicas, pesava aproximadamente 30 Toneladas e consumia 160KWH!

15 de Agosto: Dia Mundial da Informática

Visite Sinco.net

Referências de Consumo para Servidores Xeon® E-2356G

Referências de Consumo para Servidores Xeon® E-2356G
 
Apresentamos as referências de consumo para Servidores baseados nos processadores Intel® Xeon® E-2356G (6-Core / 12-Threads HT).

Além de servir como referência para custos de propriedade, essa informação é fundamental para que o gestor possa dimensionar adequadamente um nobreak, a própria rede elétrica, além de ser uma informação cobrada pelos principais datacenters do país. Lamentavelmente essa referência de consumo é muitas vezes omitida pelos principais fabricantes do mercado brasileiro.

Referências de Consumo para Servidores Xeon® E-2356G

Servidores Xeon E

Seguindo a metodologia adotada em ensaios anteriores (ao final dessa postagem publicamos os links para os testes de outras configurações), arbitramos uma configuração e medimos o consumo máximo alcançado pelo sistema completo - com 100% de uso de CPU e varredura total dos discos (em simultâneo ao uso de CPU).

Para medição usamos o Kill-a-Watt Powermeter P4400


Para estressar a CPU rodamos o Intel Processor Diagnostic Tools 4.1.7.39 64Bit e , em simultâneo , excitamos o uso dos discos rígidos com o CrystalDisk Mark 8.0.4a.


Alertamos para o fato de que essa carga de trabalho é artificial - uma vez que seria raro um usuário demandar 100% de uso durante as 24 horas do dia - todavia, é uma referência de custo mensal com energia.
 
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E-2356G

Configuração BASE
Arbitramos como configuração base a seguinte configuração:
  • Placa Mãe de Servidor MX33-BS0
  • Processador Intel® Xeon® E-2356G (6-Core HT / 12-Threads @ 3.20GHz)
  • 128 GB de Memória RAM (populados através de 4 módulos de 32GB DDR4/ECC)
  • 02 (Dois) SSDs Kingston® Enterprise DC-450R de 960GB em RAID-1
  • Fonte PFC Ativo 80+ de 500W
  • Sistema Operacional Windows Server 2022 Standard 
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E-2356G

Simulando carga de trabalho:
Chamamos de Consumo Leve a medição obtida durante o ensaio sob navegação em páginas Web, sem qualquer aplicativo adicional rodando em segundo plano.
Chamamos de Consumo Máximo a medição obtida enquanto os processadores são estressados (uso intenso de CPU) com o auxílio do programa Intel Processor Diagnostic Tools 4.1.7.39 em simultâneo à execução do CrystalDisk Mark 8.0.4a exigindo uso dos discos.


 Consumo Leve alcançado: 36 Watts 
 Consumo Máximo alcançado: 228 Watts 


Referências de Consumo para Servidores Xeon® E-2356G

 
 Arbitrando o uso constante pelo consumo de PICO, e atribuindo o custo de R$ 1,05 por KWH da Light (distribuidora aqui no Rio de Janeiro - valor comercial com impostos inclusos, em julho de 2022), teremos:


 Em regime 24/7: em 30 dias teremos R$ 172,37 
 Em regime 12/5 (dias úteis, das 08 às 20hs), em 22 dias úteis teremos R$ 63,20

Baixo Consumo de Energia

Esperamos que essas informações ajudem na decisão de compra do seu servidor.
Abaixo publicamos outras medições com modelos variados:

Referências de Consumo para Servidores Xeon® E-2388G

Referências de Consumo para Servidores Xeon® E-2356G
Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® E5-2658V2
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E5-2658V2

Referências de Consumo para Servidores Xeon® E5-2690
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E-2176G
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E5-2670
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E5-2640
Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® Scalable 6238R
Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® Scalable 6240
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E-2226G
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E-2146G
Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® Scalable 6140
Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® Scalable 4116
Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® Scalable Sawtooth
Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® E5-2600V4 Cottonwood Pass V4
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E3-1230V3 Rainbow Pass
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E3-1200V2 Beartooth Pass
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E3-1200 Sandy Bridge
Referências de Consumo para Servidores de Virtualização
Referências de Consumo para Servidores de Storage
Referências de Consumo para Servidores Xeon 7400
Referências de Consumo para Servidores Xeon 3400
Referências de Consumo para Servidores Xeon 5500
Referências de Consumo para Servidores Xeon 3300
Referências de Consumo para Servidores Xeon 5400

Migração dos processadores Intel® Xeon® E-2146G para Xeon® E-2356G

Migração dos processadores Intel® Xeon® E-2146G para Xeon® E-2356G

A partir de 20 de julho de 2022 estará concluída a migração total dos processadores Intel® Xeon® E-2146G para os modelos Intel® Xeon® E-2356G.

As placas C246M-WU4 também serão atualizadas para o novo modelo MX33-BS0, ambas da Gigabyte®.

A nova série de processadores é baseada na arquitetura Rocket Lake, substituindo a antecessora Coffee Lake.

Os equipamentos encomendados serão entregues sem qualquer ônus para o usuário final.
Casos de absoluta necessidade do modelo anterior já foram discutidos individualmente e serão as últimas entregas do modelo 2146G.


PERFORMANCE
No índice CPU Benchmark (amplamente adotado pela indústria para referência de poder de processamento) os processadores Intel® Xeon® E-2146G atingiam 13.351 pontos, enquanto os novos processadores Intel® Xeon® E-2356G atingem 19.280 pontos
A otimização de performance da nova geração demonstra um incremento de 44%, mesmo com o clock de base reduzindo de 3.50 GHz para 3.20 GHz.

CPU Benchmark
Links úteis:
Visite Sinco.net

Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® E5-2658V2 (20-Core / 40-Threads)

Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® E5-2658V2
 
Apresentamos as referências de consumo para servidores Dual Processados baseados nos processadores Intel® Xeon® E5-2658V2 (20-Core / 40-Threads HT).

Além de servir como referência para custos de propriedade, essa informação é fundamental para que o gestor possa dimensionar adequadamente um nobreak, a própria rede elétrica, além de ser uma informação cobrada pelos principais datacenters do país. Lamentavelmente essa referência de consumo é muitas vezes omitida pelos principais fabricantes do mercado brasileiro.

Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® E5-2658V2

Servidores Seminovos Xeon E5

Seguindo a metodologia adotada em ensaios anteriores (ao final dessa postagem publicamos os links para os testes de outras configurações), arbitramos uma configuração e medimos o consumo máximo alcançado pelo sistema completo - com 100% de uso de CPU e varredura total dos discos (em simultâneo ao uso de CPU).

Para medição usamos o Kill-a-Watt Powermeter P4400


Para estressar a CPU rodamos o Intel Processor Diagnostic Tools 4.1.7.39 64Bit e, em simultâneo, excitamos o uso do SSD com o CrystalDisk Mark 8.0.4a.


Alertamos para o fato de que essa carga de trabalho é artificial - uma vez que seria raro um usuário demandar 100% de uso durante as 24 horas do dia - todavia, é uma referência de custo mensal com energia.

Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® E5-2658V2 (20-Core / 40-Threads)

Configuração BASE
Arbitramos como configuração base a seguinte configuração:
  • Dois Processadores Intel® Xeon® E5-2658V2 (Ivy Bridge EP)
  • 20-Core | 40-Threads (Clock nominal @ 2.40 GHz / TurboMAX 3.00 GHz) 
  • 64 GB de RAM (populados através de 4 módulos de 16GB DDR3 ECC Reg)
  • SSD Kingston® Enterprise DC-450R de 960GB
  • Fonte PFC Ativo 80+ de 500W
  • Sistema Operacional Windows Server 2016 Standard 

Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® E5-2658V2 (20-Core / 40-Threads)

Simulando carga de trabalho:
Chamamos de Consumo Leve a medição obtida durante o ensaio sob navegação em páginas Web, sem qualquer aplicativo adicional rodando em segundo plano.
Chamamos de Consumo Máximo a medição obtida enquanto os processadores são estressados (uso intenso de CPU) com o auxílio do programa Intel Processor Diagnostic Tools 4.1.7.39 em simultâneo à execução do CrystalDisk Mark 8.0.4a. exigindo uso do SSD.


 Consumo Leve alcançado: 110 Watts 
 Consumo Máximo alcançado: 268 Watts 


Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® E5-2658V2

Arbitrando o uso constante pelo consumo de PICO, e atribuindo o custo de R$ 1,05 por KWH da Light (distribuidora aqui no Rio de Janeiro - valor comercial com impostos inclusos, em Julho de 2022), teremos:


 Em regime 24/7: em 30 dias teremos R$ 192,96 
 Em regime 12/5 (dias úteis, das 08 às 20hs), em 22 dias úteis teremos R$ 70,75 

Baixo Consumo de Energia


Esperamos que essas informações ajudem na decisão de compra do seu servidor.
Abaixo publicamos outras medições com modelos variados:

Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® E5-2658V2
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E5-2658V2

Referências de Consumo para Servidores Xeon® E5-2690
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E-2176G
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E5-2670
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E5-2640
Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® Scalable 6238R
Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® Scalable 6240
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E-2226G
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E-2146G
Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® Scalable 6140
Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® Scalable 4116
Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® Scalable Sawtooth
Referências de Consumo para Servidores Dual Xeon® E5-2600V4 Cottonwood Pass V4
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E3-1230V3 Rainbow Pass
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E3-1200V2 Beartooth Pass
Referências de Consumo para Servidores Xeon® E3-1200 Sandy Bridge
Referências de Consumo para Servidores de Virtualização
Referências de Consumo para Servidores de Storage
Referências de Consumo para Servidores Xeon 7400
Referências de Consumo para Servidores Xeon 3400
Referências de Consumo para Servidores Xeon 5500
Referências de Consumo para Servidores Xeon 3300
Referências de Consumo para Servidores Xeon 5400

Sinco.net

Hoje é Dia de Backup

Hoje é Dia de Backup
Mais um mês acabando e, como sempre, lembramos a importância de manter um backup confiável e protegido!

Confiável porque o backup, apesar de ser uma rotina automatizada, precisa ser checado e testado regularmente. Há caminhos que mudam, novas pastas são criadas, outras deixam de ser importantes... Por isso é preciso estruturar um mapa consistente de conteúdo e certificar-se que todas as informações importantes estão cobertas pela cópia de segurança.
Testado, porque não são raras as vezes em que os dados não chegam íntegros ao backup e, quando realmente são necessários, a decepção é arrasadora.

RAID não substitui o BACKUP
RAID, nos mais variados níveis, é uma tecnologia fantástica. Permite que um servidor mantenha-se acessível mesmo durante uma falha de I/O.
Entretanto, se um dado for excluído, corrompido ou criptografado, o espelho ou a redundância carregarão o mesmo problema.

Hot Swap não substitui o BACKUP
Unidades de SSD ou HDD com troca a quente (Hot Swap) somente facilitam a intervenção física. Por acesso externo é possível remover e reinstalar unidades nos servidores, porém... Se um dado for excluído, corrompido ou criptografado, a troca a quente de uma unidade não tornará o dado acessível.

Fontes redundantes não substituem o BACKUP
Fontes redundantes sustentam um servidor ligado, mesmo que uma das fontes de alimentação (uma das origens de energia) venha a ser desligada / perdida / danificada.
Esse recurso é crucial em modelos onde a energia seja fornecida por duas vias distintas, em especial por dois nobreaks alimentados por redes diferentes (concessionária e solar, por exemplo).
A solução baseada em fontes redundantes é altamente arriscada quando houver apenas uma origem de energia e, nessa, ocorrerem ruídos e/ou sobretensão. Havendo apenas uma origem de energia, quando ocorrer uma sobretensão, acontecerá a queima da primeira fonte e, logo em seguida, da segunda; já que a origem do problema persiste atacando ambos os módulos de fonte.
Um servidor com ambos os módulos queimados terá seus dados inacessíveis!

Balanceamento de Carga não substitui o BACKUP
Load Balance, além de manter o servidor online no caso de queda de um dos links, ainda traz ganhos no dia a dia, pois permitirá distribuir o tráfego por caminhos físicos individualizados quando ambos estiverem ativos.
No entanto, caso um dado seja (novamente) excluído, corrompido ou criptografado, não haverá acesso aos dados.

Nuvem não substitui o BACKUP
A nuvem tem cada vez mais destaque nas empresas e, como toda tecnologia que ganha ares de celebridade, é alardeada como a cura para todos os problemas!
Todavia, incontáveis vezes serviços de nuvem sofreram alguma forma de instabilidade e, até mesmo, queda integral da disponibilidade.
Provedores de notoriedade mundial, assim como provedores nacionais e regionais já ficaram fora do ar por dias! 
Os clientes que mantém cópia de seus dados em local físico podem injetar seus dados em uma nuvem concorrente ou, até mesmo, rodarem localmente em servidores físicos. Já quem não tinha...

Chuvas, alagamentos, deslizamentos, soterramentos
Ao menos três vezes por ano o Brasil noticia chuvas desproporcionais, seguidas de um grande alagamento. Municípios inteiros ficam inacessíveis por longos períodos e, por muitas vezes, há comprometimento físico de diversas empresas.
Aqueles que mantinham um backup consistente conseguem levantar sua operação, até mesmo, em um novo hardware e/ou local.

Incêndio, explosão, desmoronamento
Diariamente um grande incêndio ou explosão é noticiado em um negócio brasileiro. Galpões, armazéns, edifícios de salas comerciais, shopping centers, conjuntos comerciais, nenhum modelo está livre de um risco de incêndio, explosão ou desmoronamento.
Mesmo os datacenters (tecnicamente mais seguros), ao menos um por mês é comprometido no Brasil (dos mais variados tamanhos, geografia ou estrutura).

Fator humano
Há o mal, a ignorância, o descuido...
Destruir ou adulterar dados é uma vingança frequente. Não são raros os relatos de sócios ou  colaboradores que sabotam ou excluem dados intencionalmente após um desentendimento. 
Já houve, inclusive, um ataque de ira com golpes de extintor de incêndio contra os servidores de uma  pequena indústria por parte de um funcionário que saiu enfurecido do RH por ter sido demitido após descobrirem diversos atestados médicos falsificados.

Há a falta de informação, a baixa política de segurança, a ignorância do risco, onde usuários se expõem no ambiente virtual e, com isso, podem comprometer as informações de uma empresa.

Há o descuido! Por tantas vezes já houve um dado errado salvo sobre o bom, um caminho alterado, um dado excluído sem intenção... Não houve má fé do humano, mas houve descuido, desatenção.

Fator Software
O servidor que não sobe o sistema operacional após uma atualização, um hardware que trava após uma atualização de driver ou firmware, um volume RAID que não volta após um rebuild, os dados que não são mais suportados na versão mais recente do software... Inúmeros cenários onde a opção mais ágil seria não comprometer o dado e restaurar à última versão segura.
Muitas vezes o hardware não tem nenhuma parcela de culpa e a informação está em risco por diversos cenários de software / S.O.

Segurança
Sequestro de dados, ramsonware, vírus, malware... Exemplos não faltam e, nesses casos, prevenir ainda é melhor que remediar...

Desastres acontecem
Em geral cultivamos um pensamento otimista e acreditamos que problemas nunca afetarão nossas operações. Porém, se considerarmos que as informações de uma empresa são seu ativo mais precioso, é preciso prever o pior e planejarmos um processo de backup para que essas informações estejam seguras fora do nosso ambiente de trabalho.

Backup 3-2-1
A regra de ouro do backup é o conceito de Backup 3-2-1: ao menos 3 cópias dos dados em, pelo menos, 2 mídias diferentes, mantendo 1 das cópias em 1 lugar diferente!
Seguindo essa dica 3-2-1 a recuperação de um desastre será muito mais simples!




Visite Sinco.net

O inverno chegou! Um alerta sobre temperatura de servidores


Chegou o Inverno...

Em 21 de junho começa o inverno e, com ele, meses de baixas temperaturas.

Como já relatamos em postagens passadas, é tradição que não ocorram chamados ao suporte relacionados a temperatura dos servidores durante os meses de frio... E isso é preocupante, pois um servidor não pode alarmar no verão e NÃO alarmar no inverno!
Afinal, se o seu datacenter, CPD ou sala de servidores possui temperatura controlada, essa será sempre a mesma (internamente), seja inverno ou verão.

Não importa se os termômetros de rua estão marcando +42ºC em janeiro ou -3ºC em julho, dentro do datacenter a temperatura será sempre a mesma (variando conforme a possibilidade de cada um, em geral, de +16ºC a +23ºC).

Reforçamos: Se hoje seus servidores estão estáveis e sem alarmes térmicos, no verão eles tem a obrigação de estarem na mesma temperatura! Não importa se é verão.


Inverno ou verão... E a temperatura dos servidores...

Melhorar a refrigeração do Datacenter ou CPD... Esse é o momento... A hora é agora!
Se os seus servidores apresentaram alertas térmicos durante o verão e hoje estão estáveis, esse é um indicativo de que, no verão, seus sistemas de refrigeração não foram suficientemente dimensionados para as necessidades térmicas da(s) sala(s) de servidores.
Aproveite essa época de temperaturas mais baixas para providenciar melhorias nos sistemas de refrigeração do seu datacenter, CPD ou sala de servidores.
Com temperaturas naturalmente mais baixas é bem mais simples desligar alguns sistemas para realizar melhorias, seja a troca de aparelhos, manutenção, desobstrução, recargas, etc.
Até setembro é bem provável que seus servidores continuem com temperatura favorável. Não espere a chegada da primavera para voltar a receber alertas térmicos, nem a chegada do verão para sofrer desligamentos por precaução de limite de temperatura atingida!


Visite Sinco.net