Dica: Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

O procedimento a seguir acompanha a instalação do vCenter 6.7.0 em um Windows Server 2016.
Uma instalação do vCenter em um servidor Windows ocupa menos espaço no Datastore que o Appliance Linux.

O download pode ser obtido no portal My VMware e, antes de iniciar, é importante verificar os requisitos para instalação do vCenter para Windows.

Na tela inicial, clicar em Install

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Avançar clicando em Next

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Concordar e Aceitar o Contrato clicando em Next

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

A partir desse ponto deve-se escolher o tipo de cenário no qual será montado o vCenter.
Para cenários simples, basta selecionar a primeira opção:
Embedded Deployment / vCenter Server and Embedded Platform Services Controller

Já em cenários mais complexos e específicos, em ambientes maiores, deve-se optar por uma segmentação dos elementos que compõem a infraestrutura de um vCenter, na opção External Deployment.

Avançar com Next

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Ao chegar em System Network Name, há que se definir o nome do sistema e, novamente, avançar com Next

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Seguindo para vCenter Single Sign-On Configuration, é necessário definir o nome do domínio, a senha do usuário administrator e o nome do Site.
Avançar com Next

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Em vCenter Server Service Account, é preciso definir a conta para execução da instância do vCenter a ser instalada.
Pode-se prosseguir com a conta local de sistema (primeira opção: Use Windows Local System Account), ou especificar uma conta de serviço previamente criada (segunda opção: Specify a user service account). Avançar com Next

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Em Database Settings, definir qual banco de dados será utilizado para a base do vCenter:
Seja um banco local (Use an embedded database / VMware Postgres), ou um obanco externo criado previamente (Use an external database).
Avançar com Next

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Na tela Configure Ports, caso não haja necessidade de alguma porta especifica, é indicado manter o padrão.
Avançar com Next

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Na tela Destination Directory, basta definir o local de instalação do vCenter no servidor Windows (ou manter o padrão, não clicando em Change...)
Avançar com Next

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Na tela Customer Experience Improvement Program, marque a opção Join the VMware Customer Experience Improvement Program caso concorde em compartilhar informações a respeito do seu ambiente para a VMware, a fim de colaborar com a melhoria dos produtos.
Por padrão essa opção vem desmarcada.
Avançar com Next

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Chegando à tela Ready to install, basta revisar se as definições estão corretas e avançar com Install
(Caso sejam percebidas informações incorretas, basta retornar com Back até a tela onde os ajustes deverão ser revistos).

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Aguardar o progresso da instalação (Installation Progress)

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Com a instalação sendo exitosa, o usuário chegará à tela Setup Completed.
Clicar em Launch vSphere Web Client para que seja aberta a interface web via navegador para gerência do servidor vCenter recém instalado.

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Também é possível acessar a interface web para gerência do servidor através da URL https://ip_do_servidor_vcenter em seu navegador.

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Será aberta a janela de login :

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Após logar com suas credenciais de usuário e senha, o administrador terá acesso à interface de gerenciamento.

Instalação VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Essa foi mais uma dica do parceiro Paulo Santanna: Instalação do VMware vCenter 6.7.0 para Windows

Visite Sinco.net

Dica: Ativação do Windows Server® 2016 via prompt de comando

Ativação do Windows Server 2016 via prompt de comando

Uma maneira bem dinâmica para ativar o Windows Server® 2016 é via CMD (prompt de comando).

O procedimento se dá em 2 partes: a instalação e a ativação da chave.

Com a chave original legível (os usuários que adquiriram nossa versão OEM têm essa informação na Nota Fiscal, bem como na mídia original que acompanha o Windows Server), basta evocar o Prompt de Comando como Administrador (elevado) e executar a linha de comando abaixo, substituindo xxxxx-xxxx-xxxx-xxxx-xxxx pela chave oficial:

  slmgr.vbs /ipk xxxxx-xxxx-xxxx-xxxx-xxxx

A confirmação da instalação exibirá a mensagem “Chave do produto (Product Key) xxxxx instalada com êxito

Uma vez a chave instalada, basta ativar o sistema, através do comando:

  slmgr.vbs /ato

Retornará a mensagem “Produto ativado com êxito”

Caso o administrador queira confirmar o status da ativação, basta executar:

  slmgr.vbs /dlv

A tela exibida trará as informações sobre o sistema e sua ativação.
Em Status da Licença deve constar “Licenciado“ (como no exemplo abaixo)
Um status diferente de “Licenciado“ significa que o procedimento não funcionou corretamente!

Ativação do Windows Server 2016 via prompt de comando


Outra forma de verificação do status do sistema é via Painel de Controle:

  Painel de Controle > Sistema e Segurança > Sistema:

Ativação do Windows Server 2016 via prompt de comando

Essa foi mais uma dica do parceiro Paulo Santanna: Ativando Windows Server 2016 via prompt de comando
Visite Sinco.net

Seagate® lançará HDDs de 18TB e 20TB já em 2020

Seagate lançará 18TB e 20TB já em 2020

Em recente apresentação, a Seagate® expôs seu roadmap de HDDs de alta capacidade, indicando a produção em grande volume de discos rígidos comerciais baseados na tecnologia HAMR (Heat-Assisted Magnetic Recording).

Os modelos de 18 TB já serão lançadas no início de 2020, enquanto os modelos baseados em HAMR de 20TB seguirão para o final do ano.

Com as unidades de 16 TB já lançadas em 2019 (tanto nas versões SkyHawk quanto IronWolf), a empresa espera introduzir rapidamente o modelo de 18TB, já que essa capacidade se baseia na mesma plataforma de 9 pratos da geração atual.
"Estamos nos preparando para enviar unidades de 18 TB na primeira metade de 2020 para manter nossa liderança em capacidade do setor", disse Dave Mosley, CEO da Seagate.
Analisando o roadmap em um horizonte mais distante, a Seagate já mostra unidades HDD com capacidades de 30TB chegando no final de 2023 e um modelo de 50TB despontando no mercado até 2026!

Visite Sinco.net

Intel® 4004 completa 48 anos... E a história do nome Xeon®...

Intel 4004

Lançado em 15 de novembro de 1971, o Intel® 4004 foi o primeiro microprocessador em um chip simples disponível comercialmente.
Apesar de acharmos que a tecnologia lança produtos em uma velocidade impossível de ser acompanhada pelo mercado, a linha do tempo dos processadores Intel® mostra um alinhamento com as necessidades do mercado, lançando novos produtos conforme as necessidades de software evoluíam no ecossistema "PC".

Seu sucessor, o Intel® 8088 levou 10 anos para chegar ao mercado, precisamente em 1981.
Como, à época, a convivência de duas arquiteturas era uma necessidade do mercado de tecnologia, logo em 1982, foram lançados os processadores Intel® 80286 , como legítimos processadores em arquitetura 16bits.

Foram precisos mais 3 anos para que, em 1985, a Intel® lançasse os processadores 80386, esses em arquitetura 32bits (novamente uma demanda do crescente mercado de software).
Somente após 4 anos, em 1989, foram lançados os processadores Intel® 80486.

Mais 4 anos se passam e, em março de 1993, a Intel® lança os aclamados processadores Pentium®, até hoje um nome marcante no mercado.

Segmentando uma linha de processadores para Servidores...
Em 1995 a Intel® apresenta uma linha de processadores com foco no mercado de servidores acessíveis, apresentando ao mercado a família Pentium PRO.


Intel Pentium PRO

Para nós, focados no segmento de servidores, esse foi o grande passo da Intel® no sentido de segmentar claramente para o mercado a existência de duas linhas distintas de processadores. Ao mercado de desktops, os processadores Pentium®; para o mercado de servidores, o produto indicado seria a família Pentium PRO.

Com a entrada dos processadores Pentium® II no mercado, em 1997, a designação PRO deu lugar à designação Xeon® quando, em 1998, a Intel lançou os processadores Pentium® II Xeon - mais uma vez indicando ao mercado que as famílias destinavam-se a usos diferentes, sendo o Pentium® II um processador doméstico e o Pentium® II Xeon um processador para uso em servidores.


Pentium II Xeon

Seguindo com a evolução, em 1999 a Intel® apresentou seus processadores Pentium® III e, no mesmo ano, diferencia a linha de servidores com os processadores Pentium® III Xeon.
A partir do ano 2000 a Intel® havia atingido seu objetivo de esclarecer ao mercado a diferenciação das marcas Pentium®e Xeon®e, nesse ano, lança os processadores Pentium® 4 para o segmento doméstico.


Pentium III Xeon

Em 2001, para a linha de SERVIDORES, deixa de usar a nomenclatura Pentium® (o nome natural seria Pentium® 4 Xeon®) e adota apenas a marca Xeon®para seus processadores corporativos.
Intel Xeon

Nesse momento - para nós histórico - a Intel® deixa bem clara a diferença entre as duas marcas e, como vemos hoje, as duas famílias ocupam lugares específicos nas aplicações de usuários e empresas.

Os atuais processadores Core seguem como sendo os indicados para desktops, notebooks e workstations domesticas e a marca Xeon® caminha ao lado, ocupando seu lugar em servidores e workstations profissionais.


E lá se vão 48 anos!
Xeon Platinum Gold Silver Bronze

Visite Sinco.net

Como popular slots de memória em placas C246-WU4 (Silver Pass)

Como popular slots de memória em placas C246-WU4 (Silver Pass)

Para obter o melhor desempenho dos servidores Silver Pass baseados nas placas C246 com processadores Xeon E, é mandatório que os slots de memória sejam populados conforme a configuração ideal.
Muitos usuários nos questionam sobre esse mapa de ocupação quando vão realizar um incremento de memória (upgrade).

Como popular slots de memória em placas C246-WU4 (Silver Pass)

Seguindo a tabela acima, é possível notar a distribuição de 4 slots, distribuídos entre 2 canais (2 módulos por canal).
Primeiro devem ser preenchidos os slots CINZAS e, somente quando estes estiverem ocupados, devem ser preenchidos os slots pretos.

Como popular slots de memória em placas C246-WU4 (Silver Pass)

Alerta 1: Alguns integradores ocupam os slots cinzas e pretos (A1+A2, por exemplo), pois acreditam que 2 módulos criam o duplo canal; todavia, ao ocuparem A1+A2, esses integradores estarão usando apenas o canal A!
O correto é distribuírem os módulos pelos slots A1 + B1 pois, dessa forma, habilitarão o duplo canal por estarem agregando o canal A com o canal B.

Alerta 2: Os slots pretos poderão ser usados somente após os dois slots cinzas já terem sido populados!

Alerta 3: Quando usado apenas 1 módulo de memória, deve ser respeitada a regra "farthest fill first", ou seja, usar primeiro os slots mais distantes do processador,  de maneira a obter a melhor dissipação térmica do sistema.

Alerta 4: Os slots A2 e B2 (pretos) somente deverão ser ocupados após terem sido preenchidos A1 e B1 (cinzas).

Alerta 5: Ao adquirir módulos para upgrade, é importante atentar para que os módulos tenham mesmo Part Number, de forma a evitar incompatibilidades por especificações diferentes!
Módulos com capacidades DIFERENTES (8GB e 16GB, por exemplo) serão perfeitamente compatíveis entre si, desde que o Part Number seja o mesmo, alterando apenas a capacidade.

Alerta 6: A capacidade máxima instalada é de 16GB por slottotalizando 64GB.
Esse chipset não suporta módulos de 32GB! Mesmo que 02 módulos de 32GB atinjam 64GB de RAM e estejam dentro da capacidade máxima suportada pelo chipset, não funcionarão, pois a capacidade máxima por slot é de 16GB.

Como popular slots de memória em placas C246-WU4 (Silver Pass)


Servidores Xeon® E 21xx/22xx (Silver Pass)

Referências: Manual C246M-WU4 (Páginas 9 e 10)

Leitura Sugerida:
Como popular slots de memória em placas C246-WU4 (Silver Pass)
Como popular slots de memória em placas S2600STB/STBR (Sawtooth)
Como popular slots de memória em placas S1200SP (Silver Pass)
Como popular slots de memória em placas S2600CW (Cottonwood Pass)
Como popular slots de memória em placas S2600CP (Canoe Pass)
Como popular slots de memória em placas S1200V3RP (Rainbow Pass)

Visite Sinco.net

Apenas 1 processador em plataformas Bi-processadas Xeon

Apenas 1 processador em plataformas Bi-processadas de Servidor

Apesar de bem menor que no passado, ainda é percebida uma parcela de usuários que questionam sobre adquirir uma plataforma bi-processada porém, visando economia de custos, embarcando apenas 1 processador Intel® Xeon®.

Essa decisão é fortemente desencorajada, uma vez que todos os custos que envolvem a preparação para equipamentos bi-processados estarão presentes (ServerBoard com 2 soquetes, memórias ECC ou ECC/REG, fonte com alimentação para 2 processadores, gabinetes de dimensões maiores etc) em contrapartida, a única economia será o custo do segundo processador.

Visitando modelos de Workstations e Servidores, e atentando aos custos avulsos de cada processador, é fácil perceber que o custo de 1 processador oscila entre 10% e 25% do valor total do equipamento e, por se tratar de abdicar do segundo processador, significa abrir mão de metade do poder de processamento!
2 Processadores

  Sumarizando: Uma economia de 10% a 25%, em detrimento de 50% de perda (ou "não ganho") de desempenho, não é uma escolha vantajosa.  

Possibilidade de um upgrade futuro:
Uma parcela ainda mais reduzida de usuários crê que a aquisição de um modelo bi-processado com apenas 1 processador assegurará um crescimento futuro (upgrade para o segundo processador).

Essa expectativa precisa ser controlada e esclarecida, pois não se trata apenas de adquirir um segundo processador!

Para uso em paralelo é mandatório que os 2 processadores tenham sido fabricados com o mesmo Stepping Code (também chamado de "SL number").
Em uma analogia simples, processadores com o mesmo Stepping Code são como "produtos do mesmo lote".

Como o Stepping Code sofre alterações sazonais (como revisões de fabricação), a tarefa de obter um segundo processador com o mesmo "SL Number" do primeiro acaba comprometendo os planos de upgrade do usuário.
Com o passar dos meses a dificuldade de encontrar compatíveis, além de árdua, torna-se mais onerosa (pois envolve um pedido específico ao fabricante, ou a manutenção de um estoque para "upgrades" sem a garantia de vendas futuras).

No exemplo abaixo é possível identificar que ambos os processadores Intel® Xeon® Silver 4210 têm o mesmo Stepping Code SRFBL (na terceira linha da gravação a laser).

Identificando S-Spec de processadores Xeon

Ou, mesmo sem precisar abrir a caixa dos processadores, é possível identificar o S-spec na etiqueta dos produtos In a Box.
Na imagem abaixo percebe-se que ambos os processadores Intel® Xeon® Gold 6240 têm o mesmo Stepping Code SRF8X (canto direito da etiqueta, indicado com marca-texto).

Identificando S-Spec de processadores Xeon

Metade dos Slots de Memória:
Outra informação importante é lembrar que os slots de memória das ServerBoards são atrelados aos processadores, ou seja, metade para CADA processador.

Em um sistema populado com apenas o primeiro processador, apenas os slots desse processador estarão ativos. Memórias instaladas nos slots do segundo processador sequer serão contadas.

Tomando como exemplo uma ServerBoard Intel® S2600STBR com 16 slots DDR4, o usuário terá, de fato, 8 slots para cada processador instalado.
Portanto, para reconhecer a totalidade de slots é necessário o uso de 2 processadores.


Apenas 1 processador em plataformas Bi-processadas de Servidor

Há fabricantes que indicam (e dão desconto) para a compra com apenas 1 processador
É sabido que algumas fornecedoras dão descontos que, de início, parecem ser interessantes, para que empresas adquiram servidores sem o segundo processador.
Essa é uma prática comercial onde, uma vez capturado o comprador, o fabricante poderá cobrar valores dilatados quando chegar o momento do upgrade, uma vez que o usuário dependerá da compatibilidade.
Condenamos essa prática e, por isso, alertamos os riscos durante o processo de negociação.

Quando a compra não traz risco?
Quando enxergamos o volume de compras de países desenvolvidos, é normal que empresas adquiram lotes de servidores.
Nesse cenário a compra de servidores bi processados com apenas 1 processador deixa de ser um risco pois, no momento de um upgrade, o gestor poderá "aproveitar" o processador de outro servidor do lote para a primeira máquina (deixando-a bi processada) e, para o servidor que "perdeu" o processador, poderá adquirir 2 processadores com o Stepping Number da época, até mesmo de modelos diferentes dos adquiridos à época!

Leitura sugerida:
Dica S2600STBR: É necessário o segundo processador para reconhecer toda a memória do sistema
Como popular slots de memória em placas S2600STB/STBR (Sawtooth)
Como popular slots de memória em placas S1200SP (Silver Pass)
Como popular slots de memória em placas S2600CW (Cottonwood Pass)
Como popular slots de memória em placas S2600CP (Canoe Pass)
Como popular slots de memória em placas S1200V3RP (Rainbow Pass)

Visite Sinco.net

Dica S2600STBR: É necessário o segundo processador para reconhecer toda a memória do sistema

Dica S2600STBR: É necessário o segundo processador para reconhecer toda a memória do sistema

Alertamos aos usuários das placas de servidor Intel® S2600STB (Sawtooth) e S2600STBR (Sawtooth Refresh) que a presença do segundo processador é mandatória para que sejam habilitados os bancos de memória (A1, A2, B1, C1, D1, D2, E1, F1) referentes ao CPU2, bem como quatro slots PCI-E (Slot1 + Slot2 + Slot 3 + Slot4).

Como podemos notar no diagrama abaixo, cada processador mantém comunicação com 2 canais triplos (8 slots por processador).

Dica S2600STBR: É necessário o segundo processador para reconhecer toda a memória do sistema

Ainda nesse diagrama é possível notar que os slots PCI-E 1, 2, 3 e 4 são comunicados diretamente com o segundo processador e, tal qual ocorre com os bancos de memória, esses slots somente serão iluminados caso haja o segundo processador.


Dica S2600STBR: É necessário o segundo processador para reconhecer toda a memória do sistema


Essa informação está presente na documentação técnica da placa mãe e, sobretudo, deve ser ressalvada pelo fabricante do servidor quando ocorrer a integração com apenas um processador.

Uso de apenas 1 processador em plataformas biprocessadas:
Apesar de bem menor que no passado, ainda ocorre uma discreta parcela de usuários que questionam sobre adquirir uma plataforma biprocessada porém, visando economia de custos, embarcando apenas 1 processador Xeon®.
Essa opção de compra é fortemente desencorajada, uma vez que todos os custos que envolvem a preparação para equipamentos biprocessados estarão presentes (placa mãe com 2 soquetes, fonte com alimentação para 2 processadores, gabinetes de dimensões maiores etc) em contrapartida, a única economia será o custo do segundo processador.

Visitando modelos de Workstations e Servidores, e atentando aos custos avulsos de cada processador, é fácil perceber que o custo de 1 processador oscila entre 10% e 25% do valor total do equipamento e, por se tratar de abdicar do segundo processador, representa abrir mão de 50% do poder de processamento.
Sumarizando: Uma economia de 10% a 25%, em detrimento de 50% de perda (ou "não ganho") de desempenho, não é uma escolha indicada.

Uma parcela ainda mais reduzida de usuários crê que a aquisição de um modelo biprocessado com apenas 1 processador assegurará um crescimento futuro (upgrade para o segundo processador).
Essa expectativa precisa ser controlada, pois não se trata apenas de adquirir um segundo processador!
Para uso em paralelo é mandatório que os 2 processadores tenham sido fabricados com o mesmo Stepping Code (vulgo "SL number"). Como o Stepping Code sofre alterações sazonais (como revisões de fabricação), a tarefa de obter um segundo processador com o mesmo "SL Number" do primeiro acaba comprometendo os planos de upgrade do usuário.

Leitura Sugerida:
Apenas 1 processador em plataformas Bi-processadas Xeon
Como popular slots de memória em placas S2600STB/STBR (Sawtooth)
Como popular slots de memória em placas S1200SP (Silver Pass)
Como popular slots de memória em placas S2600CW (Cottonwood Pass)
Como popular slots de memória em placas S2600CP (Canoe Pass)
Como popular slots de memória em placas S1200V3RP (Rainbow Pass)

Visite Sinco.net

Dica: Definindo servidor de licenças de Área de Trabalho Remota (RDS) no Windows Server 2016 via editor de política

Definindo servidor de licenças de Área de Trabalho Remota (RDS) no Windows Server 2016 via editor de política

Como definir um servidor de licença e o tipo em um servidor com o papel de Área de Trabalho Remota (RDS) ativado no Windows Server 2016 através de política de grupo?

No servidor com o RDS, executar o editor de política de grupos através de comando: gpedit.msc

Com o editor aberto, navegar através de :

> Configuração do Computador
>> Modelos Administrativos
>>> Componentes do Windows
>>>> Serviços de Área de Trabalho Remota
>>>>> Host de Sessão da Área de Trabalho Remota
>>>>>> Licenciamento


As seguintes opções serão exibidas:



Com as opções ativas, em Usar os servidores de licença da Área de Trabalho Remota especificados, deve ser definido o servidor de licença (por nome ou endereço IP) :


Definindo servidor de licenças de Área de Trabalho Remota (RDS) no Windows Server 2016 via editor de política


Caso o gestor não queira que mensagens sobre problemas de licenciamento sejam exibidas para o usuário de sessão remota, ativar a opção Ocultar notificações sobre problemas de Licenciamento RD que afetam o servidor Host de Sessão da Área de Trabalho Remota.


Definindo servidor de licenças de Área de Trabalho Remota (RDS) no Windows Server 2016 via editor de política


Finalmente, na opção Definir o modo de licenciamento da área de trabalho remota, o gestor define se o licenciamento do serviço de área de trabalho remota será Por Dispositivo ou Por Usuário.


Definindo servidor de licenças de Área de Trabalho Remota (RDS) no Windows Server 2016 via editor de política



Visite Sinco.net