RAID não é Backup!

Boia
É importante reforçarmos aos usuários que uma solução de RAID não é uma solução de BACKUP em si só! Uma estratégia de backup bem planejada - e cumprida à risca - é fundamental e indispensável em qualquer ambiente, seja empresarial, ou mesmo doméstico.

O que é um RAID?
RAID significa "Redundant Array of Inexpensive Drives" (Conjunto Redundante de Discos Econômicos). Com o tempo, numa tentativa de desassociar o conceito de "discos baratos", a indústria reviu o acrônimo para "Redundant Array of Independent Disks" (Conjunto Redundante de Discos Independentes).

Ou seja, a tecnologia RAID, seja via software ou via hardware, é uma forma eficiente de unificar diversos drives em um volume lógico de forma a atingir uma grande capacidade de armazenagem podendo, inclusive, obter ganho de desempenho (RAID-10, 50 e 60).

Por quê "Discos econômicos"?
O termo não se refere a drives de alta ou baixa qualidade! Refere-se ao fato que, com unidades de capacidades normais de mercado é possível montar um volume com uma capacidade que tornaria um "drive" inviável (financeiramente falando).
Tomemos como exemplo discos rígidos de 2TB, atualmente muito populares no mercado. Ao construirmos um volume RAID-5 com 8 discos rígidos de 2TB atingiremos um drive lógico de 14TB. Se um fabricante de discos rígidos tivesse que fabricar um HD de 14TB seu custo seria muito superior ao custo de 8 HDs de 2TB somados. Por isso o volume consegue obter um custo "econômico".

Se não é para Backup, para quê serve um RAID?
Unidades em RAID são amplamente usadas em volumes virtualizados, bancos de dados, repositórios de arquivos e, sobre tudo, backups!
O conceito que precisa ser quebrado é que RAID é backup! Ou seja, o fato do usuário ter um volume RAID não significa que ele tenha proteção total e não precise de backup!
Backup é a replicação dos dados através de uma cópia de segurança FORA do equipamento, preferencialmente fora do ambiente físico.
Ter um volume em RAID com REDUNDÂNCIA é uma excelente maneira de mitigar problemas no RAID e, na eventualidade de um drive falhar, pode-se reconstruir o volume e resistir à perda momentânea dos dados, mantendo o volume (servidor) disponível por esse período.

RAID nivel 50
RAID em nível 50 (redundância e desempenho)
O risco de colocar todos os ovos na mesma cesta...
Ter uma pasta de backup dentro do mesmo volume de dados não traz nenhuma segurança ao usuário; seria o mesmo que colocar todos os ovos em uma única cesta!
A redundância de discos existe para proteger o RAID, não os dados!
É preciso entender redundância de discos como um paliativo de momento para que o sistema (servidor ou desktop) não fique indisponível.
Imaginemos um carro com estepe. Esse estepe é a REDUNDÂNCIA (uma roda com pneu sobressalente que não serve para nada, até que algo aconteça).
Se um pneu fura, é imprescindível que seja trocado pelo estepe e reparado o quanto antes.
Todavia, se um pneu fura e o condutor não o substitui pelo estepe, ao furar um segundo pneu o fato de ter um estepe não servirá para nada, pois estará com dois pneus furados!
Trocar o pneu furado pelo estepe e não reparar o furo é tão arriscado quanto, pois o veículo estará rodando e, ao furar novamente um pneu, estará sem estepe (pois esse está rodando e o pneu furado no porta-malas).
Volumes RAID-1 ou RAID-5 são como um carro com estepe. O disco espelhado (no caso de RAID-1) ou o disco de contingência (no caso do RAID-5) tem a função de ocupar a posição de um drive falhado e manter o sistema respondendo.
A vantagem é essa, ou seja, não perder o acesso ao servidor no caso de uma falha de HD.
Porém, tal qual o estepe, se o volume não for reparado (RAID rebuild) e o disco sobressalente não for restituído à posição de contingência, as informações contidas nesse volume estarão completamente em risco!
Os dados contidos em um volume RAID precisam estar protegidos por um plano de backup robusto e eficiente. Essas informações precisam ser duplicadas em um servidor distinto e, sobretudo, precisam estar acessíveis no caso de uma pane geral do hardware principal (imaginemos nessa situação um desastre natural, incêndio, roubo, danos elétricos, sabotagem de funcionários, vandalismos, demolição, etc).

A própria Intel® publica em sua página que RAID não é backup:
O texto abaixo foi traduzido da página da Intel® sobre servidores, intitulada: Planejamento para o pior caso: a importância de uma solução de backup.

"O propósito real de uma matriz RAID não é backup de dados de forma nenhuma. RAID foi criado para aumentar a velocidade de acesso aos arquivos (a taxa de transferência de dados), e aumentar o tamanho de discos lógicos. Dado que as unidades de disco rígido são dispositivos mecânicos que podem falhar a qualquer momento, o RAID evoluiu de modo a incluir alguma redundância integrada (por exemplo, RAID 1 e 5). Redundância fornece capacidade de sobreviverem a perda de uma unidade de disco única. Teoricamente isso é bom, mas não fornece acesso aos dados no caso de duas falhas na unidade, ou corrupção dos dados das unidades. NÃO confundir redundância de disco rígido com um verdadeiro backup."
Fonte: Página da Intel em portuguêsPágina da Intel, original, em inglês

RAID na Wikipédia, em português
RAID na Wikipédia, em inglês


Visite Sinco.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário